segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Muito obrigado, de coração!

Depois de um longo jejum, estou retornando ao meu velho blog. Não andei sem vontade de escrever, pois a inspiração sempre se manifesta. Mas ultimamente ela tem se manifestado nos momentos em que estou longe de um teclado e a saída é usar as palavras de outra maneira, verbalizando o que sinto. Na verdade eu sinto muito pelos desencontros,  pelos desequilíbrios, pelos laços rompidos, pelas decepções, pelas oportunidades que foram perdidas e um outro montão de situações que poderiam ter tido um final diferente. Mas essa lamentação dura apenas 48 horas. Eu não tenho paciência para sofrer, prefiro assumir a postura realista, passando a ter um olhar otimista e cheio de esperança.
Não temos o mundo que idealizamos assim como as relações que esperávamos. Mas e daí? Não vale a pena sofrer por um mundo que irá nos desafiar sempre e irá nos colocar contra a parede muitas vezes, deixando a mostra toda nossa fragilidade, até que possamos enfrentar a vida com coragem novamente.
Se você olhar ao redor, os motivos para prosseguir são muitos.
Mais um Natal vem chegando suavemente. Estou fora desse turbilhão consumista do comércio, da necessidade/ansiedade de resolver tudo que não foi resolvido em poucos dias, dos atropelos e desgastes sem sentido das relações humanas.
Celebrar o Natal é diferente para mim. Este é o período de recarregar baterias e não de arriá-las completamente. Não aos excessos e desperdícios. Sim aos encontros e aprendizados.
Esta será a minha 50a. edição da festividade mais tocante para mim. Não idealizo nada especial, apenas um momento de encontro com as pessoas que amo. É o momento de olhar nos olhos, de abraços longos daqueles que nos fazem sentir o coração do outro. De agradecer a Deus por tudo e mais um pouco. De expandir a compaixão e de começar a perdoar a si mesmo.
Pouco importam os presentes e a fartura da ceia natalina. Importam as pessoas. Importa o diálogo sincero em meio a um cafezinho cheiroso. Importam as músicas de Natal ecoando pela sala, seja no velho LP ou no Blue Ray. Importa o sabor das frutas da estação. Importa a alegria das crianças e o brilho de seus olhos, que muito me emociona. Sempre que me olho no espelho me pergunto: onde será que foi parar o brilho de meus olhos? Mas o que importa? Vejo-me refletido em minha filha e isso me basta.
Eu finalmente relaxo depois de mais um ano repleto de muito trabalho. O Natal me revigora e traz a expectativa da esperança renovada.
Acredito em mudanças da mesma forma que acredito na presença divina que as impulsiona. Sou hoje melhor do que era ontem, e serei melhor amanhã do que sou hoje. Só quem vive intensamente sabe. Tanto a dor como a alegria são privilégios únicos para nós, seres humanos. Esses sentimentos nos igualam, nos nivelam e mostram o quanto somos semelhantes. Por isso, acredito no contínuo renascimento, seja agora no Natal ou em outra data qualquer.
Sinto-me motivado a contribuir para a construção de um novo mundo, que vive a se atualizar. Os momentos de detenção estão muito presentes em minha vida, e só Deus sabe o que ele tem feito por mim, pela minha vida. Me orgulho e agradeço pela vida que me foi ofertada, aliás, toda vida merecia um biografia que pudesse ser publicada. Imagine a quantidade de experiências que cada pessoa traz ao longo de uma vida! Imagine se pudéssemos partilhar tudo isso!
Por isso, a vida que temos passa a ter um valor que ultrapassa as conquistas materiais, passa longe de necessidades fúteis. Ela nos presenteia com a possibilidade única de explorá-la em todas as suas nuances. É assim que agregamos significado e valor a tudo e a todos que nos rodeiam. Vai além do que podemos ver e ouvir. Viver com transcendência nos tempos atuais é urgente, assim como renovar a esperança diariamente. Pense sempre em expandir a sua consciência. Ela te mostrará um mundo novo e repleto de possibilidades para concretizar.
Pessoas partem, amigos chegam e continuamos vivendo gloriosamente até o nosso encontro final.
Estou certo que teremos errado e aprendido muito, mas os acertos sempre serão maiores após os erros. E quer saber, essa contabilidade pouco importa agora. O que vale mesmo é acreditar que a sua vida foi feita sob medida para você. Ela vai te tornar um ser melhor, se você assim desejar. E se a barra pesar, exercite a sua fé. Olhe para um céu estrelado e peça a mão, o colo, o abraço, o afago, daquele misericordioso Pai que nunca nos faltará. Feliz Natal para todos que me seguem e perseguem neste blog! Muito obrigado de coração.

Sentido

Sentido
Uma das melhores maneiras de dar um sentido para a vida, é procurar deixar o mundo um pouco melhor do que nós o encontramos. Autor desconhecido

Viver: renúncia, prazer, amor e leveza

Minha foto
Petrópolis, Rio de Janeiro, Brazil
Um professor com alma de aluno.