segunda-feira, 9 de junho de 2008

Espelhos

Na última postagem disse que me encontrava atarefado. Estranho, continuo da mesma forma. Passei um final de semana como muitos que já tive, cheio de responsabilidades e compromissos assumidos. Ontem quase dormi sobre o teclado. De repente me vi escrevendo palavras sem sentido, como se fosse uma "escrita estranha". Meu corpo estava legal, mas sentia a energia de meus pensamentos se esvair rapidamente. Precisava dormir.
Hoje, mais ou menos descansado, fiquei pensando no pesado sono de ontem. Paro agora para escrever o que pensava agora pouco.
O sono é um treinamento para a morte. Quando o sono chega por mais que lutemos, ele acaba por nos derrotar. Eu creio que com a morte será assim também. Ela talvez seja mais forte que o adormecer, mas por outro lado, nos livrará de todo tipo de dor física e emocional que estejamos vivendo. Será o ultimo suspiro. A morte da esperança. O clímax de uma vida. Por que escrevo isso? Porque a morte não é a antítese da vida. É apenas uma parte dela.
Não vou dizer que teremos uma nova vida ou que viveremos uma eternidade, pois ainda não morri, mas acredito em outras opções.
Se escrevo sobre a morte é para me lembrar que estou um pouco depois do meio do caminho e tenho muito o que fazer! E o que é mais importante: ainda estou VIVO!
Não estou mais pronto para esperar acontecer, preciso fazer acontecer e concretizar os sonhos que ainda surgirão. Mas compreendo que esperar agora tem um outro significado. Quando jovem era impaciente, queria que tudo acontecesse para ontem. Cobrava e exigia respostas fulminantes. Fazia o que não me cabia só para exibir a minha eficiência e iniciativa.
Agora, ESPERAR significa tornar real sonhos possíveis e realmente essenciais para mim.
A ansiedade amadureceu e me tornou um homem bem mais feliz. Em parte, porque amadureci e mudo minhas prioridades sempre, como se fosse refinando-as. A outra parte, foi porque já realizei muito do que queria, superando minhas próprias expectativas.
Vivo uma novíssima fase de minha vida, que me faz perceber o mundo e os seres humanos com outros olhos. E o que é muito legal? Me vejo também com outros olhos e não preciso mais de espelhos.

Nenhum comentário:

Sentido

Sentido
Uma das melhores maneiras de dar um sentido para a vida, é procurar deixar o mundo um pouco melhor do que nós o encontramos. Autor desconhecido

Viver: renúncia, prazer, amor e leveza

Minha foto
Petrópolis, Rio de Janeiro, Brazil
Um professor com alma de aluno.