domingo, 19 de julho de 2009

Fragilizei minhas energias

Os últimos dias foram difíceis. Fragilizei minhas energias, o que permitiu que um forte resfriado se estabelecesse. Além disso, fui muito exigido profissionalmente, à medida que as dores e calafrios tomavam o meu corpo. Lutei contra uma letargia perigosa, que aliada ao cansaço do fim de bimestre, por pouco não me derrubou.
Agora o pior já passou. Estou me recuperando fisicamente, mas sinto-me fragilizado emocionalmente. Não sei se de uma hora para outra tornei-me frágil diante da vida ou a vida mostrou-se traiçoeira com suas mazelas, mais forte do que eu. Tenho a sensação evidente que não estou preparado para fazer sacrifícios que esgotem a minha energia vital. Não preciso ficar me justificando para ninguém, a não ser para mim mesmo. Não preciso mostrar-me melhor ou mais preparado que qualquer um. Não preciso ter lido todos os autores mais importantes do momento. Pouco me importa o que estão esperando de mim. Não estou nem um pouco preocupado em ser reconhecido pelo meu empenho, pois já me reconheço. Não me satisfaz viver dessa forma, mas fui levado nos últimos dias a testar meus limites físicos e olha, foi uma experiência que não quero viver mais, nunca mais.
Já tenho uma vida com propósitos bem maiores! Tenho uma vida cheia de pequenos milagres, que se forem somados, deixam claro o quanto é forte o Deus que creio. Agradeço diariamente tudo o que vivi para ser o que sou hoje. Sinto-me capaz em assumir uma postura ativa diante da vida e reconheço o bem que a liberdade de pensar me traz.
Não quero voltar ao passado. Não preciso agir como agia. Não preciso conviver com quem não faz parte do meu mundo. Sinto-me liberto para agir do jeito que quero e penso, para ir de encontro ao que pretendo tornar-me.
Não tenho grandes pretensões materiais de agora em diante, pois voltei meu olhar para minhas ambições espirituais. Sinto que tenho pouco tempo e não irei desperdiçá-lo. Naturalmente não vou sair correndo por ai. O desenvolvimento espiritual a que vou de encontro não acontecerá como o minha evolução material. Ele acontece devagar, com passos lentos, firmes e largos. Você já tentou correr com grandes passadas? Além de ficar esquisito, acabará caindo.
Hoje tive um dia de tristezas. Chorei todas as vezes, mas sei que isso passa rápido. Talvez tenha sido pelo domingo cinzento ou por ter ficado metade do dia sozinho em casa. Meditei e tive uma resposta forte ao que sentia. Agora, mais sereno e tranquilo, apesar de ainda sozinho, avalio com mais coragem o que tenho pela frente.
Fico muito abalado quando percebo a insensatez humana. Me dói comprovar que o vazio emocional de uma criança continua a se ampliar na adolescência, e que outras pessoas ainda não se deram conta do quanto precisam mudar, para o benefício de si próprias e dos outros.
Fiquei pensando, fazendo projeções futuras e fiquei angustiado e sem esperança. Mais uma vez percebo que só posso viver a minha vida. Cada um terá que conviver com seus avanços e retrocessos ao longo da vida, e sobreviver a isso. Por mais que eu quisesse escrever uma nova história para as pessoas que convivo, sei que não posso fazer nada. Ao mesmo tempo, lembro-me dos "dias de trovão" que vivi em minha vida e posso dizer com orgulho: se eu fui capaz de sobreviver, certamente, estes serão. Já plantamos muitas sementes, e estou certo que irão brotar cedo ou tarde, mesmo que não consiga ver a flor e o fruto surgidos daquele pequeno grão.

Um comentário:

Faber disse...

Seu texto dispensa qualquer tipo de conselho pois, mais do que elencar problemas e frustrações, você destacou as soluções que estão o tempo todo diante de nós mas muitas vezes não conseguimos (ou queremos) ver.

Sentido

Sentido
Uma das melhores maneiras de dar um sentido para a vida, é procurar deixar o mundo um pouco melhor do que nós o encontramos. Autor desconhecido

Viver: renúncia, prazer, amor e leveza

Minha foto
Petrópolis, Rio de Janeiro, Brazil
Um professor com alma de aluno.