domingo, 20 de setembro de 2009

Nossa missão é simples e única!

Não estamos sós ao trilhar um caminho espiritual. Além da presença divina que nos acompanha desde sempre, é reconfortante saber que somamos muitas pessoas. Pouco importa quem são, o que fazem ou onde vivem. Fazemos parte da humanidade.
Muitas pessoas percebem o quanto tenho me transformado. Minhas atitudes agora refletem meus pensamentos, e por isso sinto-me melhor e pacificado em boa parte do tempo.
Não deixei de ser humano, mas agora aprecio ser uma honrosa exceção que somada a tantas outras já percebem o quanto podem contribuir com suas pequenas vidas.
Somos aqueles que continuam encontrando grandes e poderosos motivos para viver.
Somos os que se esforçam para serem melhores, mas nunca superiores.
Somos aqueles que não deixarão de ter esperança em um mundo melhor e justo.
Somos os que lutam para romper hábitos antigos e criar novos que resgatem o verdadeiro sentido da vida, o amor.
Somos aqueles que acima de qualquer circunstância preferimos acreditar do que duvidar.
Pode parecer utópico escrever sobre esperança e transformação diante da complexidade do ser humano, mas pior seria se nada fizéssemos diante do que se passa aos nossos olhos, se acreditássemos ser normal o silêncio e a omissão diante da vida.
Como poderíamos deixar de ser capazes de aprender com os desafios diários?
Existem muitos propósitos para serem cumpridos e não posso perder os que me cabem de vista. Seria negar o meu destino, a missão que recebi de Deus. Essa missão vai ficando clara à medida que cresço espiritualmente. É simples e única.
Sempre questionei o quanto a separatividade é prejudicial ao homem. Todos temos diferentes caminhos de realização espiritual. Todos nós guardamos no coração uma centelha que pode dignificar a vida dando-lhe um sentido mais amplo.
Não dá para continuar classificando os homens e mulheres em bons ou maus, cultos ou analfabetos, saudáveis ou doentes, tementes ou ateus. Essa estratégia divide a sociedade quando o que precisamos é somar idéias, pensamentos e ações.
Respeite o próximo não pelo o que ele tem em comum com você, mas no que difere. Tenho me esforçado para exercitar essa atitude em minha vida, mas reconheço que não é fácil. Não estou aqui para avaliar ninguém a não ser eu mesmo, inserido e integrado no corpo da humanidade. Tenho ainda muito o que realizar, e coragem não me faltará, pois não estou só.

Um comentário:

Ana Garrido Arquiteta disse...

Oi amor, realmente não julgar e separar é difícil. Mas é importante que tenhamos essa consciência e batalhemos para não ter essa atitude.
Foi bom ter lido isso.
Bjs.

Sentido

Sentido
Uma das melhores maneiras de dar um sentido para a vida, é procurar deixar o mundo um pouco melhor do que nós o encontramos. Autor desconhecido

Viver: renúncia, prazer, amor e leveza

Minha foto
Petrópolis, Rio de Janeiro, Brazil
Um professor com alma de aluno.