sábado, 6 de dezembro de 2008

Recolhendo cacos de vidro

Só falta nevar por aqui. Não me recordo de um mês de dezembro tão natalino! Faz frio e tenho dormido com edredom. O sol só consegue mostrar-se na parte da manhã, depois chega um vento frio trazendo nuvens cinzas que fecham o céu completamente. Estou aqui pensando de novo no Natal. Natal que a minha filha está curtindo demais. Agora mesmo está com a mãe decorando a árvore de Natal que montei e amarrei no banquinho para que não tombasse. Tenho uma filha de poderosa iniciativa, que foi capaz de dar um beijo de Bela Adormecida na mãe, deitada na cama, para que se levantasse e juntas preparassem a árvore para mim e o Papai Noel. Já colocamos a nossa guirlanda na porta, que para minha filha em sua inocência, acreditasse ter sido o Papai Noel que a colocou, e assim, se lembrar de deixar seus presentes na noite de Natal.
Por vezes tenho vontade de fazer compras de Natal, mas quando lembro do estresse que a data causa nas pessoas nos shoppings, acabo desistindo. Por que todo mundo quer resolver tudo, às pressas, até o Natal? Será o efeito do 13 salário que precisa ser gasto antes da crise econômica mundial nos solapar?
Pode ser que sim, mas todos ficam cansados neste período de corre-corre com o intuito de poder entrar em férias e descansar. Eu não sei se poderei descansar como pretendia. Tenho o mês de janeiro para estruturar minha vida em 2009. Tenho que tomar decisões definitivas que contemplem o meu desejo de um ano novo sem os sobressaltos de 2008.
Ainda tenho provas finais para corrigir, mas me sinto em férias e vou fazer tudo bem devagar. Já comecei a arrumar minha casa para o Natal. Já chamei um marceneiro, um eletricista e um bombeiro para fazer aquilo que não pude fazer ao longo do ano, por ter outras prioridades financeiras e por ser incapaz de fazê-lo. Mas meu apt. está ficando legal para receber o Natal. Espero entrar em 2009 completamente "liso", mas com todas as minhas contas pagas - esse é o presente que quero de Natal.
Mas por vezes, recebemos no Natal "presentes de grego". Lembra-se do acidente de automóvel que meu carro sofreu em novembro? Pois é, a seguradora do Corolla não vai pagar o conserto de meu carro. Concluiu que quem deve pagar é o motorista do Fiorino, responsabilizado pelo acidente. Liguei para ele e estou aguardando amanhã em minha casa para apresentar-lhe a conta!
Mas a minha intuição diz que ele não virá e serei forçado a buscar meus direitos, fazendo-o assumir a sua responsabilidade. O que me espanta é que de uma hora para outra estou sendo conduzido a agir com muitas pessoas da mesma forma. Estou perplexo como não me dão alternativas e tenho que agir, pois se não faço "fico mal na foto" de quem acredita em meu bom senso de justiça. Pior é sentir que preciso fazer isso não por mim, mas pelos outros. Não gosto de ser a atiradeira pronta para quebrar vidraças.

Nenhum comentário:

Sentido

Sentido
Uma das melhores maneiras de dar um sentido para a vida, é procurar deixar o mundo um pouco melhor do que nós o encontramos. Autor desconhecido

Viver: renúncia, prazer, amor e leveza

Minha foto
Petrópolis, Rio de Janeiro, Brazil
Um professor com alma de aluno.