quarta-feira, 30 de abril de 2008

A partir de hoje, a partir de agora.

A partir de hoje começo a trilhar um caminho novo. Matriculei-me em um curso de Espanhol. Quando fazia a matrícula deparei-me com o coordenador, um velho amigo que havia trabalhado comigo anos atrás em uma escola judaica. Depois de matar-mos as saudades daqueles tempos, de lembrar dos amigos comuns, chega uma ex-aluna do ensino médio, professora de inglês do curso e me acolhe com um largo sorriso. Fiquei empolgado com a possibilidade de resgatar o meu inglês no futuro e aprender uma nova língua no presente.
Já deixei de fazer muitas coisas na vida por falta de dinheiro (é verdade) ou por falta de tempo (é mentira). A prova maior é que quando decidi fazer o curso, não pensei em gastos e nem em tempo, fiz a matrícula e vou até o fim.
Conheci também minha professora de espanhol que me foi muito simpática. Disse-lhe do mico que passamos ao chegar em Cuba (Havana) em 1998 na recepção do hotel e a recepcionista não entender uma vírgula de nosso portunhol. Sorte dela e nossa que eu e mais outro amigo falávamos inglês. Mas até esse ponto, era um grupo de brasileiros gesticulando e falando alto, como se a pobre moça (pobre nada, ela falava 5 idiomas dentre eles. o russo) fosse surda e muda.
Logo depois fui para casa e relembrei do quanto me faz bem lançar-me em novos desafios.
Não me sinto preparado para parar; se é que um dia irei parar. Não poderia viver encostado em lembranças. Hoje sempre me recordo do passado. Lembro das experiências que me fizeram ser o que sou hoje, mas sem saudosismos. Reconheço o que vivi, mas estou antenado em novas possibilidades. Talvez não seja tão ousado como era, afinal de contas, se tentasse ser, a minha consciência iria espernear, me fazendo cair na real rapidamente.
Quantas atitudes precisam ser revistas em nossa vida? E qual deve ser o melhor momento? Será preciso agir rápido ou ainda nos resta tempo?
Será que o medo estica os prazos e decisões?
Não gosto de ignorar as pessoas e hoje fiz isso com um ser humano. Fiz mecanicamente e logo depois me arrependi. Que direito tenho de agir assim?
Esse texto é cheio de perguntas e ao mesmo tempo exige respostas. Sinto que preciso agir e já estou fazendo a partir de agora.

Nenhum comentário:

Sentido

Sentido
Uma das melhores maneiras de dar um sentido para a vida, é procurar deixar o mundo um pouco melhor do que nós o encontramos. Autor desconhecido

Viver: renúncia, prazer, amor e leveza

Minha foto
Petrópolis, Rio de Janeiro, Brazil
Um professor com alma de aluno.